Fim da licença maternidade. De volta ao trabalho

mae-trabalhoEstar preparada psicologicamente para este momento é essencial. Três semanas após o meu retorno ao trabalho, posso falar numa boa: não é tão difícil assim! Algumas mães sofrem muito, em outros casos são as crianças. Mas, eu fui muito abençoada e não tive problemas com isso. Nos organizamos antes, estabeleci uma rotina que deve ser seguida e, tudo isso, me ajuda a manter a tranquilidade.

A princípio, Bia iria para a creche. Pensamos bem e avaliamos que ainda não é o momento. A saída foi, já que minha mãe trabalha meio período e já tinha se oferecido para a missão, deixá-la com a empregada e com a avó. Pela manhã, Beatriz fica com a empregada, que começou a trabalhar na minha casa nos primeiros dias depois do nascimento da pequena. À tarde, ela fica com a avó, enquanto a empregada cuida da casa.

Gosto muito da Dona Pedra, que já é uma senhora e veio trabalhar comigo por indicação da minha diarista. Este tempo convivendo com ela me passou a segurança que eu precisava nela, tanto como pessoa, como profissional. Eu diria que Pedra é a terceira avó de Bia e não sei o que seria de mim sem ela.

No primeiro dia, eu quem chorei, eu quem senti falta da Bia. Ela só se divertiu aqui em casa. Não deu trabalho para suas cuidadoras e me recebeu com um sorriso enorme quando retornei pra casa. Como deu certo, segui em frente. Superando a cada dia o fato de não poder acompanhar tudo tão de perto da sua evolução. Em alguns dias, quando chego, ela já está dormindo. Por isso, aproveito bem o final de semana.

Quanto à rotina:

Anotei em um quadro branco uma sequência de horários para as principais atividades, como alimentação, sono e banho. Além de recomendar quanto ofertar de alimento. Claro que não é algo fixo, tudo depende de como a Beatriz aceita tudo por aqui, só é um norte.

E vale o conselho de uma xará que trabalha comigo e também teve uma menininha meses antes da Beatriz: “Pratique o desapego”(Géssica)

Leite materno

Não deixei de oferecer o leite materno à Bia. Pela manhã, ela mama no peito. Ao longo do dia na mamadeira, intercalando com alimentos sólidos. À noite, quando eu chegar, se ela estiver  acordada, no peito novamente. Me desdobro no trabalho para reservar o tempo para a ordenha. Sempre levo leite meu para casa. O que tiro num dia, deixo congelar na sala de amamentação, para levar no outro.

Saiba mais sobre a ordenha do leite materno.