Nova mamãe e o teste do Beta HCG

Teste do Beta HCGOlá mamães! Sou Camilla, biomédica e agora a mais nova mamãe do pedaço. 🙂 Descobri no dia 12.03.13 que estou grávida. Ou como diriam alguns amigos ao verem meu exame de sangue “muito grávida” . rs

Estava me sentindo diferente há umas duas semanas, com um sono incontrolável, fome de tudo, vontades aleatórias no meio do dia de trabalho, certos enjôos a comidas que eu nunca diria não (no caso japonesa), meus seios estavam enormes e doloridos só de encostar na roupa. E eu estava feliz porque brincava com meu marido, Filipe “do Chocola“, dizendo que me sentia siliconada naturalmente! Haha! 😀 Já estava esperando há 15 dias a querida menstruação chegar e como eu estava sentindo cólicas e gases, pensei que fosse só um atraso menstrual.

Daí, após pesquisar em dezenas de lugares todos os sintomas possíveis de gravidez, tudo estava super indicativo que realmente pudesse estar grávida. Entretanto, estava com medo de fazer o teste porque não programamos essa gravidez, mas ao mesmo tempo eu e o Filipe ficávamos felizes só de pensar na possibilidade. Resolvi fazer o teste de sangue, o exame da gonadotrofina coriônica humana, ou comumente conhecida como Beta HCG, mesmo sabendo que hoje em dia os testes de farmácia, realizados com a urina, também são sensíveis. Mas preferi ter certeza logo em meio a tanta ansiedade.

Mas, porque fazer o teste de Gonadotrofina coriônica humana (HCG) quando se suspeita de gravidez?

Bom, a gonadotrofina coriônica humana é uma glicoproteína hormonal que é produzida pelo sinciciotrofoblasto. Calma! Este nome nada mais quer dizer que o hormônio é produzido pela placenta. Quando a placenta é formada, esta é composta por uma parte fetal e uma materna, o sinciciotrofoblasto faz parte da implantação do embrião ao útero. A placenta produz hormônios essenciais para a manutenção da gestação, como: progesterona, estrógeno e o HCG. Estudos relatam que entre sete a dez dias após a concepção, as concentrações de HCG na urina e no sangue aumentam, gerando a positividade no exame. O aumento desse hormônio, além de gravidez, pode ser observado em outros casos específicos de câncer, inclusive no homem. Durante o primeiro trimestre de gestação é o HCG que mantém a gestação e impede que haja uma nova ovulação e menstruação.

Em qual exame confiar mais: de farmácia ou de sangue?

Os dois exames podem apresentar resultados confiáveis, entretanto vale lembrar que o HCG está presente em menores quantidades na urina do que no sangue. Assim, na urina pode levar a um resultado falso negativo se realizado muito precocemente, ou até mesmo um resultado falso positivo por uso de medicamentos que contenham HCG, por exemplo, para tratamento de casos de infertilidade, em algumas patologias, em caso de aborto ou se tiver dado a luz a menos de 8 semanas. Outros fatores podem interferir no resultado, como: uso de antibióticos, antiinflamatórios, anticoncepcionais e álcool.

E porque sentimos tanto enjôos e desejos ainda no início da gestação?

O nosso organismo de forma geral funciona em equilíbrio. Ou seja, se algo não vai bem ou há alguma alteração, todo o resto do corpo responde de alguma forma. Quando se está grávida, simplesmente é como se tivesse “uma bomba de hormônios” e então imagina quantas coisas diferentes acontecem? A dosagem dos hormônios está bem maior do que o normal e acaba influenciando no enjôo, na alteração digestiva, como azia e queimação, no aumento da salivação e apetite, além do sono.

Enfim, fiz o exame e ao pegar o resultado sentei e comecei a suar e tremer. Fiquei ali tentando interpretar o que aqueles números queriam dizer. Pequeno detalhe: o médico que tinha me atendido pra prescrever o exame conversou comigo e sabia que eu era biomédica. Basicamente, para os que não sabem, biomédicos podem liberar laudos de exames laboratoriais, ou seja, mesmo que não explicitemos o que significa sabemos o porque daquele resultado! Eu estava tão nervosa que não conseguia entender que 35840U era maior que 25U e que isso significava que eu realmente estava grávida. Adivinha o que tive que fazer? Voltar e perguntar pro médico o que todos aqueles números queriam dizer… ele riu e disse:

Você não é biomédica? Criança sempre é bem vinda, né? Parabéns, você está bem grávida

Na mesma hora pensei em gritar de alegria e contar pra todo mundo ao mesmo tempo, mas queria chegar em casa e poder falar pro homem que me fez me sentir assim, mais mulher e a mais feliz. Comprei um par de meias (micro) e coloquei em uma caixinha pra fazer a surpresa. Ele ainda em choque sorria e me abraçava. Só depois de um tempo a ficha começou a cair.

Anúncios

Como diminuir os enjôos do início da gravidez

Nem todas passam por isso, mas uma grande maioria sim e tem até pavor de lembrar depois (eu). Para começar, descobri que estava grávida por conta dos famigerados enjôos. Como sempre tive um apetite de duas pessoas e pouca frescura para comer, era muito estranho olhar para o meu prato de comida favorito e sentir vontade de vomitar. Fora a ressaca todos os dias de manhã, sem a parte boa de ter bebido na noite anterior. Foi a mudança na minha alimentação que me fez investigar e descobrir uma gestação de 8 semanas.

Os enjôos estão relacionados ao aumento da produção de HCG (sigla em inglês para Gonadotrofina Coriónica Humana), comum na gestante, que por sua vez é responsável pela produção de progesterona e estrogéno. Uma quantidade maior desses dois últimos provoca as ânsias e os vômitos.

Não existe nada milagroso para superar esta fase, a não ser o tempo – e tem gestante que sente isso a gravidez inteira. Eu, por exemplo, senti enjôos até o início do quinto mês. Voltei a ter refluxos e enjôos leves agora no oitavo. Ou seja, do quinto ao fim do sétimo mês eu fui um gestante muito mais estável, rs. Apesar de nada milagroso, há alguns cuidados que ajudam a amenizar estes indesejáveis.

Primeiramente, converse com seu ginecologista obstetra. Ele pode te receitar um remédio contra enjôo. O meu indicou Meclin a cada 8h. Mas a alimentação já resolve muita coisa. Atenção para estes cuidados:

  • Ao acordar, antes mesmo de sair da cama, coma umas três bolachas de água e sal;
  • Evite escovar os dentes logo que acorde (esta foi a pior parte, eu vomitava todo dia escovando os dentes de manhã) ou assim que comer. Dê um intervalo de uns 15 minutos;
  • Coma mais vezes em menores quantidades. Não deixe seu estômago vazio nem por um minuto e não exagere na quantidade de alimentos de uma vez. Procure fazer lanchinhos leves entre as refeições;
  • Tenha sempre bolachas de água e sal na bolsa;
  • Evite comidas gordurosas ou cremosas;
  • Não sei se funciona para todo mundo, mas alimentos cítricos e azedos me ajudavam a perder a ânsia de vômito. Suco de limão ou de abacaxi sem açúcar, picolé de limão antes e depois do almoço;
  • Água de coco sempre. Evite as de caixinha, os conservantes te fazem ter repulsa com o tempo;
  • Evite também alimentos muito temperados. Quanto mais insossa a comida, menos o seu organismo vai percebe-la e repudia-la.

Esta é só uma ajuda, algumas diquinhas que deram certo comigo e podem dar com você também. Mas, cada caso é um caso. Converse sempre com seu ginecologista obstetra.