Mimos supérfluos para o seu bebê

Há coisas que a gente só sabe da necessidade depois do nascimento do bebê. Coisas que você poderia ter pedido no chá-de-bebê ou de presente para os amigos mais chegados. Coisas que você sequer sabe da existência, mas lá na frente vai falar “poxa deveria ter algo assim”. Com certeza tem! Posso dizer que são produtos do tipo “supérfluos”, mas quem pode pagar, conforto nunca é demais.

Resolvi fazer este post porque perdi oportunidades de mandar trazer de fora produtos que só soube da existência depois do nascimento da Bia, produtos que não vendem no Brasil ou são caros além da conta. Alguns eu adquiri aqui, outros já passou da época. Então, segue a dica. Serve tanto para quem está montando o enxoval do bebê, como para quem quer presentear. São só alguns de uma lista enorme de coisas que incentivam o nosso consumismo.

Cadeira de descanso

Há diversos modelos, que vibram, que tocam musiquinhas, que balançam. Coloridas, cheias dos penduricalhos. Afinal, que raios de cadeira é essa? Eu costumo brincar que a cadeira é do bebê, mas o descanso é da mamãe. É uma cadeirinha confortável onde você coloca o bebê e ele acaba entretido com as mil e uma coisas que ela faz. Chegando a, inclusive, dormir. ❤

A média de preço varia, de acordo com a marca e as funções, entre R$173,00 a quase R$2mil.

Para Bia, comprei uma da Fisher-Price, Cadeirinha de Balanço Minha Infância, que pode ser utilizada até os 4 anos ou 18kg.

Média de preço R$359,00

Média de preço R$359,00

Ofurô de bebê

É simplesmente um balde! Os benefícios são tantos que valem um investimento. Existem de várias marcas, modelos e – descobri recentemente – tamanhos. A média de preços varia entre R$35 e R$260,00.

Optamos pelo Prince Lionheart Washpod Bath Tube por seu designer prático para carregar, tendo duas alças, por seu apoio ser aparentemente mais confiável e por ter uma almofada para colocar no fundo.

Prince Lionheart Washpod Bathtub in White

Média de preço R$150,00

Escorredor de mamadeiras

De verdade, eu não sabia que existia algo feito exatamente pra isso. Já tinha até comprado um escorredor copos quando, certa feita, vi uma variedade em uma loja da Chicco aqui em Brasília. Foi aquele momento “Uau! Existe e eu nem precisei inventar!” Realmente, é o supérfluo do supérfluo. Mas, quem gosta de uma graça – como eu – adquira.

A média de preços que vi por aí é de R$24 a R$75. O que comprei para a Bia, da Chicco, custou R$54.

R$54,00

R$54,00

Rolo posicionador de bebê

É um negócio simples, mas que faz toda a diferença. É basicamente um tecido que envolve dois rolos com um espaço entre os dois. Serve para segurar o bebê evitando – dentro do possível – que ele role no berço. Aqui vale investir. Você encontra uns bem baratinhos nos supermercados. Você pode investir entre R$19,00 e R$70.

Optamos pelo da The First Years air flow, de 0 a 5 meses (mas faz tempo que não cabe mais a Bia nele)

Custa uns R$60

Custa uns R$60

Esterilizador de mamadeiras

Sinceramente, taí um negócio que comprei e não utilizo. Prefiro ferver a água e escaldar as mamadeiras, copos e talheres da Bia. Mas, para quem é adepto, há muitas opções no mercado. Na verdade, ele é bem mais prático do que escaldar os utensílios. Acho que não uso por falta de espaço na minha humilde residência. São tantos eletrônicos que… enfim. Quem quiser, até vendo o meu Dexel.

A média de preços é de R$75 a R$300. Isso, para os elétricos. Tem uns outros para microondas que tenho minhas dúvidas da eficiência e segurança proporcionada.

O da Bia é da Dexel e comporta 6 mamadeiras e possui um compartimento central para bicos e acessórios menores. Desliga sozinho e é bivolte.

R$100

R$100

Almofada para amamentar

Olha é muito útil se você tiver uma poltrona, caso contrário, não vejo necessidade. Ao menos para a amamentar. Depois, você pode reaproveitar para usar como apoio para o bebê quando ele estiver começando a sentar.

Média de preço entre R$45 e R$250. Comprei uma em formato de lua por R$120,00 aqui em Brasília. Mas, usei muito pouco porque não me sentia confortável já que não comprei a poltrona para amamentação.

Não foi bem essa que comprei, mas é muito parecida.

Não foi bem essa que comprei, mas é muito parecida.

Cadeira Bumbo

Dizem que é uma cadeirinha de descanso, mas acho que está mais para algo que ensina a criança a sentar. Quando vi a filha de uma colega usando achei super interessante, porque desde novinha ela já estava sendo estimulada a aprender a sentar. Porém, não se encontra este item com facilidade no Brasil (quando acha é superfaturada) e o fato de eu não saber da existência me fez perder a oportunidade de trazer de fora. Choro minhas pitangas até hoje.

Deixo o vídeo para vocês verem o quanto é legal, útil e prática:

Como diminuir os enjôos do início da gravidez

Nem todas passam por isso, mas uma grande maioria sim e tem até pavor de lembrar depois (eu). Para começar, descobri que estava grávida por conta dos famigerados enjôos. Como sempre tive um apetite de duas pessoas e pouca frescura para comer, era muito estranho olhar para o meu prato de comida favorito e sentir vontade de vomitar. Fora a ressaca todos os dias de manhã, sem a parte boa de ter bebido na noite anterior. Foi a mudança na minha alimentação que me fez investigar e descobrir uma gestação de 8 semanas.

Os enjôos estão relacionados ao aumento da produção de HCG (sigla em inglês para Gonadotrofina Coriónica Humana), comum na gestante, que por sua vez é responsável pela produção de progesterona e estrogéno. Uma quantidade maior desses dois últimos provoca as ânsias e os vômitos.

Não existe nada milagroso para superar esta fase, a não ser o tempo – e tem gestante que sente isso a gravidez inteira. Eu, por exemplo, senti enjôos até o início do quinto mês. Voltei a ter refluxos e enjôos leves agora no oitavo. Ou seja, do quinto ao fim do sétimo mês eu fui um gestante muito mais estável, rs. Apesar de nada milagroso, há alguns cuidados que ajudam a amenizar estes indesejáveis.

Primeiramente, converse com seu ginecologista obstetra. Ele pode te receitar um remédio contra enjôo. O meu indicou Meclin a cada 8h. Mas a alimentação já resolve muita coisa. Atenção para estes cuidados:

  • Ao acordar, antes mesmo de sair da cama, coma umas três bolachas de água e sal;
  • Evite escovar os dentes logo que acorde (esta foi a pior parte, eu vomitava todo dia escovando os dentes de manhã) ou assim que comer. Dê um intervalo de uns 15 minutos;
  • Coma mais vezes em menores quantidades. Não deixe seu estômago vazio nem por um minuto e não exagere na quantidade de alimentos de uma vez. Procure fazer lanchinhos leves entre as refeições;
  • Tenha sempre bolachas de água e sal na bolsa;
  • Evite comidas gordurosas ou cremosas;
  • Não sei se funciona para todo mundo, mas alimentos cítricos e azedos me ajudavam a perder a ânsia de vômito. Suco de limão ou de abacaxi sem açúcar, picolé de limão antes e depois do almoço;
  • Água de coco sempre. Evite as de caixinha, os conservantes te fazem ter repulsa com o tempo;
  • Evite também alimentos muito temperados. Quanto mais insossa a comida, menos o seu organismo vai percebe-la e repudia-la.

Esta é só uma ajuda, algumas diquinhas que deram certo comigo e podem dar com você também. Mas, cada caso é um caso. Converse sempre com seu ginecologista obstetra.