#29semanas – Consulta Médica

As necessidades nutricionais do bebê chegam ao ponto máximo no terceiro trimestre. Você vai precisar de muita proteína, vitamina C, ácido fólico, ferro e cálcio.

Hoje, fiz mais uma consulta do pré-natal. A cada consulta me sinto mais próxima do parto. Está chegando a hora e eu estou bem atrasada com tudo. De certa forma, tranquila até demais (falo sobre o enxoval, o quarto, enfim). Com a bebê, dona Beatriz, parece estar tudo bem. Se mexeu horrores enquanto o médico tentava ouvir seu coraçãozinho. A mãe (eu), tomou outra bronca por estar engordando muito rapidamente. O médico disse que se continuar assim, vai me encaminhar para a nutricionista. Quem diria?! rs

Uma amostra do meu peso ao longo das consultas.

Média antes de engravidar – 52kg
7 semanas – 53,7 kg
11 semanas – 53,7 kg
16 semanas – 55,1 kg
21 semanas – 56,5 kg
25 semanas – 58,5 kg
29 semanas – 60 kg

Olhando assim, tenho engordado uma média de 2kg por mês. Segundo o médico, o ideal é até 1,8 kg. Prometi maneirar. ♥

Perguntei sobre o parto, se temos que já agilizar alguma coisa. Ele me disse que conversaremos a respeito lá pela 32ª semana de gestação e me perguntou o que eu pretendo fazer, normal ou cesárea. Pretendo fazer normal, então ele me recomendou a fazer uma Yoga para o parto (ainda tenho que procurar saber onde tem e se terei tempo pra isso) para fortalecer a região pélvica. Além disso, me solicitou uma ecografia obstétrica. Que bom! Já estava com saudades de ver a imagem da minha princesa naquela telinha preta. Devo fazer no final da próxima semana – o duro é achar vaga nessas clínicas de imagem.

Para fechar, fotoca que bombou no Facebook tirada pela a amiga Ana Célia.

Fazendo gordice – “pequeno maltine com extra, por favor” | Foto: Ana Célia

Anúncios

#25semanas – Consulta médica

Os pequenos braços e pernas já começam a demonstrar sua força, e, à medida que essa calistenia – ou um simples acesso de soluços – torna-se aparente, todos ao redor podem desfrutá-la.

Quase 10 semanas depois estou de volta. Infelizmente, não tenho o tempo necessário para me dedicar a escrever sobre esta gestação. São muitos afazeres e me sobra pouca disposição. Mais a frente falarei sobre isso. Beatriz, frenética, se move o tempo inteiro no auge das suas 25 semanas de gestação. Hoje, fomos ao médico para a consulta de rotina e levar exames.

Está tudo bem com ela e com a mãe também. Os exames, um ultrassom morfológico, uma ecografia transvaginal e exames de sangue e urina, mostram que ela é uma menina saudável abrigando-se em um corpo também saudável.

Ecografias:

Ultrassom – morfológico

  • O que: ecografia morfológica do 2° trimestre
  • Quando: realizada entre a 20ª e 24ª semana de gestação
  • Pra quê: detecção de má formações e cromossomopatias
  • Resultado: estudo morfológico fetal normal; biometria e relações biométricas fetais normais; ausência de marcadores ecográficos de cromossomopatias

Ultrassom – endovaginal

  • O que: exame realizado com equipamento dinâmico vaginal
  • Quando: realizado no segundo trimestre
  • Pra quê: detecta a insuficiência istimo-cervical, em Portugês claro, serve para detectar a incapacidade do colo uterino de manter uma gravidez.
  • Resultado: o exame ecográfico não mostrou sinais sugestivos de incompetência istimo-cervical.

O médico só puxou minha orelha por um porém, e pasmem: porque engordei além da conta. Desde a nossa última consulta, há exato um mês, era para eu ter engordado até 1kg e 800g. Bom, eu engordei 2kg e uns quebrados. Mas, vamos ponderar que, hoje, a pesagem veio depois de um belo almoço com direito a picanha, arroz, feijão e fritas. Sem contar com os morangos recheados com chocolate…

Próxima consulta marcada para daqui a um mês, terei que apresentar apenas aquele temido exame da curva glicêmica, o teste oral de tolerância à glicose para saber se tenho tendência a ter diabetes. Espero que não tenha e que não vomite durante o procedimento. Amém!

#16semanas – Consulta médica

Na última terça-feira (24), fui ao médico. Após um mês sem vê-lo, estava cheia de dúvidas. Ele aferiu minha pressão, viu meu peso, ouviu o coraçõazinho da Beatriz, verificou o tamanho do saco gestacional e me deu uma série de conselhos.

Perguntei sobre as dores que sinto nos momentos mais variados no pé da barriga, parecidos com cólicas menstruais e dores no osso da vagina. Ele disse que é o corpo dando espaço para o desenvolvimento da pequena. Falei sobre as dores nos seios e mamilos. Ele explicou que meu organismo já está querendo produzir leite, este momento é o preparo, por isso também os seios ficam maiores. Falei sobre a dificuldade que tenho tido para dormir, acordando várias às vezes ao longo da noite tentando arrumar um posição confortável – nunca tive problema com isso antes. Muito amável, meu médico disse “Não se preocupe, tudo isso vai piorar até o fim da gravidez.”

Mas, a Beatriz está ótima. E isso é o que importa. Ainda que eu esteja comendo que nem uma leitoa, nisso o médico pediu para eu tomar cuidado. Quem me conhece há muito tempo, sabe que sempre fui um trituradorzinho, agora então. Armaria! Ah! Uma dica muito interessante que o médico me deu foi evitar o uso de talco antisséptico para o pé que contenha enxofre, que é o caso do Polvilho Granado, porque o organismo acaba absorvendo. Durante a gravidez, é melhor usar o spray tenis-pé baruel.

Só vou voltar a ver o médico daqui um mês e para este período ele não pediu nenhum exame. Só vou tomar o reforço da vacina de hepatite B e me vacinar contra a gripe.