Sintomas comuns do 6º mês de gravidez

Estou na 25ª semana de gestação e decidi compartilhar com vocês os sintomas comuns durante este período, que vai da 23ª a 27ª semana. As informações são do livro “O que se esperar quando se está esperando”*, emprestado pela amiga Tainara a mim e que tenho lido desde o 4º mês de gravidez.

Lembre-se sempre de que todas as gestações, assim como todas as mulheres, são diferentes. Você poderá sentir ora todos, ora só alguns sintomas. Uns ainda persistem desde o mês anterior, outros só agora surgiram. Outros ainda são de difícil percepção porque a gestante já se acostumou a eles. Há também alguns, menos comuns, que agora podem se manifestar.

Físicos

  • Atividade fetal mais evidente.
  • Secreção vaginal esbranquiçada (leucorréia).
  • Dor na região abdominal baixa e lateral (por estiramento dos ligamentos que sustentam o útero).
  • Prisão de ventre.
  • Azia, má digestão, gases, distensão abdominal.
  • Dores de cabeça, desmaios ou tonteiras ocasionais.
  • Congestão nasal e sangramento nasal vez ou outra; entupimento dos ouvidos.
  • Sangramento das gengivas.
  • Maior apetite (avaliem o quanto tenho comido ultimamente, gzuis)
  • Cãibras nas pernas.
  • Edema leve (inchaço) nos tornozelos e pés, às vezes nas mãos e no rosto.
  • Varize nas pernas e/ou hemorróidas.
  • Coceira abdominal.
  • Umbigo protuberante.
  • Dores lombares.
  • Alteração da pigmentação cutânea no abdome e/ou face.
  • Aumento dos seios.

Emocionais

  • Diminuição das oscilações de humor.
  • Persistência da desatenção, da distração.
  • Aborrecimento com a gestação (“será que ninguém consegue pensar em outra coisa?”).
  • Ansiedade com relação ao futuro.
*MURKOFF, Heidi; EISENBERG, Arlene; HATHAWAY, Sandee. Paulo Fróes. O que se esperar quando você está esperando. 9ª ed. Rio de Janeiro: Record, 2009.
Título original norte-americano: WHAT TO EXPECT WHEN YOU’RE EXPECTING

#25semanas – Consulta médica

Os pequenos braços e pernas já começam a demonstrar sua força, e, à medida que essa calistenia – ou um simples acesso de soluços – torna-se aparente, todos ao redor podem desfrutá-la.

Quase 10 semanas depois estou de volta. Infelizmente, não tenho o tempo necessário para me dedicar a escrever sobre esta gestação. São muitos afazeres e me sobra pouca disposição. Mais a frente falarei sobre isso. Beatriz, frenética, se move o tempo inteiro no auge das suas 25 semanas de gestação. Hoje, fomos ao médico para a consulta de rotina e levar exames.

Está tudo bem com ela e com a mãe também. Os exames, um ultrassom morfológico, uma ecografia transvaginal e exames de sangue e urina, mostram que ela é uma menina saudável abrigando-se em um corpo também saudável.

Ecografias:

Ultrassom – morfológico

  • O que: ecografia morfológica do 2° trimestre
  • Quando: realizada entre a 20ª e 24ª semana de gestação
  • Pra quê: detecção de má formações e cromossomopatias
  • Resultado: estudo morfológico fetal normal; biometria e relações biométricas fetais normais; ausência de marcadores ecográficos de cromossomopatias

Ultrassom – endovaginal

  • O que: exame realizado com equipamento dinâmico vaginal
  • Quando: realizado no segundo trimestre
  • Pra quê: detecta a insuficiência istimo-cervical, em Portugês claro, serve para detectar a incapacidade do colo uterino de manter uma gravidez.
  • Resultado: o exame ecográfico não mostrou sinais sugestivos de incompetência istimo-cervical.

O médico só puxou minha orelha por um porém, e pasmem: porque engordei além da conta. Desde a nossa última consulta, há exato um mês, era para eu ter engordado até 1kg e 800g. Bom, eu engordei 2kg e uns quebrados. Mas, vamos ponderar que, hoje, a pesagem veio depois de um belo almoço com direito a picanha, arroz, feijão e fritas. Sem contar com os morangos recheados com chocolate…

Próxima consulta marcada para daqui a um mês, terei que apresentar apenas aquele temido exame da curva glicêmica, o teste oral de tolerância à glicose para saber se tenho tendência a ter diabetes. Espero que não tenha e que não vomite durante o procedimento. Amém!